É difícil falar de um festival tão querido! Quando cheguei à Comercial não tinha grande ligação a festivais … Sempre gostei de ir a concertos (e sempre fui a muitos) mas festivais, nunca fui grande fã.  Isto até começar a fazer o Nos Alive. Sempre que estou em trabalho e pergunto ” o que é que o festival tem de especial?” a resposta é sempre a mesma: “o ambiente e o cartaz”. E é mesmo. Quem vai ao Alive todos os anos consegue sentir a vontade e o empenho de transformar este festival numa paragem obrigatória para os portugueses e para os estrangeiros. E já é paragem obrigatória para muitos estrangeiros.

Organização top  … este ano com mais dificuldades nos acessos (por motivos de segurança foram feitos alguns cortes no trânsito) mas regra geral com paciência e educação tudo corre bem por isso, tiran do o tempo de espera, correu tudo bem!

Este ano os bilhetes voaram … 55 mil espectadores todos os dias. Foi a primeira vez que uma edicão do NOS ALIVE esgotou tão cedo!

No que toca ao cartaz, para mim a grande curiosidade ou o concerto que mais queria ver era o do Weeknd. Desde que saiu o primeiro albúm que eu tinha vontade de ver este rapaz ao vivo. Gosto da sonoridade dura, crua e sensual …

Depois surgiram outros nomes que embora já os tivesse visto ao vivo vale sempre a pena rever: Imagine Dragons, Depeche Mode … os portugueses Black Mamba e o Tiago Bettencourt.

Ao dia de hoje confirmo que os concertos que mais queria ver, para mim, foram mesmo os melhores. Foo Fighters foi brutal não duvido, mas se eu tivesse que escolher um concerto seria o de The Weeknd. Se eu já tinha expectativas altas … o rapaz conseguiu superar tudo! Brutal. Confesso que fiquei com vontade de o ver em nome próprio.

Em segundo lugar, Imagine Dragons (deram tudo em palco) e em terceiro os Depeche Mode. Não foram pelo óbvio, pelos sucessos mas adorei. Que presença em palco e que belo concerto.

Certamente estão a pensar “então e os outros palcos?” Confesso que entre emissões na rádio e vlogs, acabei por ficar mais pelo Palco Nos.

Nem só de música vive o NOS ALIVE. Pelo Passeio Marítimo de Algés vemos muitas tendências. Quer na roupa, quer no cabelo e make up.  Este ano tivemos muita cor (principalmente nos cabelos), muitas tranças e muito brilho na cara! Adoro, sou super fã desta moda.

Eu por mim e porque passo muitas horas no recinto a mair parte do tempo em pé, tento ir o mais confortável possível. Proteger-me do sol, do frio e garantir que não chego a casa cheia de dores nos pés.

Este ano optei por levar em dois dos trés dias calções (sou muito friorenta, mas arrisquei), umas botas (são fáceis de limpar) e para a parte de cima no primeiro dia vesti uma camisa branca super leve … nos restantes dias a t-shirt da Comercial uma vez que estive a fazer emissão.

Para proteger do frio optei por um casaco de ganga.

No que toca ao cabelo, levei tranças (tirando o dia de Foo Fighters … mais rock optei por levar o cabelo solto) e na make up este ano, fui muito para o natural, apostei nos olhos e nos brilhos.

Em relação ao cabelo e à make up, fiquem atentos porque na sexta-feira vamos ter novo vlog com os looks (e não só) dos 3 dias de Nos Alive.

 

E agora venha a edição de 2018!Estamos prontos. 🙂

 

 

Comments

comments