No post do regresso ao ginásio acabei por falar do (meu) corpo e das minhas lutas … muito por alto mas acabei por abrir uma porta que nunca pensei abrir.

Quem me lê e passa ou já passou pelo mesmo sabe que não é fácil e que para chegar aqui, foi um longo caminho. Acredito que a idade nesta matéria (e em tantas outras) é muito importante, tal como o estarmos rodeados de pessoas que nos ajudam, que nos querem bem, que nos amam de verdade, tudo isso ajuda … no entanto se a nossa cabeça não estiver preparada, nada vai servir! Não adianta. Podemos ouvir muita gente, mas nada muda. Só vemos o que queremos à frente.

“Cat, estás a falar do quê exactamente?” Estou a falar de uma coisa tão simples como me olhar ao espelho e não gostar do que via.

Em miúda chamavam-me “cara de bolacha”. Como devem calcular nunca achei muita piada mas ok, tudo bem… também tinha uma amiga que chamavam Olívia Palito …  miúdos! A verdade é que não sei se tal como ganhei fobia a palhaços com uma máscara de carnaval com a qual o meu irmão gostava de me assustar, também ganhei o trauma do peso ou lá o que seja com a “carinha de bolacha” ! Sinceramente não sei. Sei sim que viver em luta constante com o corpo não é saudável. Mais cedo ou mais tarde acabamos por pagar um preço por essas discussões. As dietas; o nunca estar contente com o peso; o querer mais … sim eu era assim!  Era cansativo. Triste, no limite. Acho que nunca aproveitava o momento pois sempre a pensar no pós, no depois.

Felizmente as coisas mudaram. Disse “basta!”, ganhei força de vontade para contrariar a cabeça e comecei um processo de mudança. São coisas que levam tempo e sinceramente acho que só agora aos 38 anos é que estou mais em paz.

De alguns anos para cá para além do exercício também comecei a ter cuidado com a alimentação. Não, não estou sempre de dieta. Faço uma alimentação saudável mas não estou sempre de dieta. Aliás tanto não estou que este ano engordei nas minhas férias. E sabem que mais? Soube bem.

Claro que entretanto voltei ao ginásio e às minhas corridas (não passo sem esta rotina) com uma diferença: tempo. Sem pressas ou exageros. Sei que tudo leva tempo e o corpo apesar de só precisar de 30 dias para se adaptar a novas rotinas, neste caso precisa de mais.

Por isso, meninas/mulheres que todos os dias lutam por causa do peso, do espelho … não tenham medo. Não desistam.

Como a Alicia Keys canta

Even when I’m a mess
I still put on a vest
With an S on my chest
Oh yes
I’m a Superwoman

😉

Estamos juntos.

 

 

 

Comments

comments