Foi no início da saudosa Primavera que decorreu a primeira edição do Rubis Gás UP Festival Internacional de Balonismo e para o qual esta vossa que vos escreve foi convidada a assistir, com lugar dentro do cesto de um dos balões. Experiência única, a de estar tão perto de um gigante e de se elevar a poucos metros de terra firme.

Mas isto de viajar de balão pode acontecer em qualquer altura, existindo as condições climáticas para tal, e não é a primeira vez que dezenas de balões de ar quente se juntam num evento de cariz público. Pois, então, o que distinguiu este festival das demais iniciativas lúdicas relacionadas com a temática?

É que a Windpassenger, a empresa organizadora do evento, juntou-se à Câmara Municipal de Coruche e à Quercus e em conjunto conceberam um plano para envolver-nos a nós, os comuns mortais de hábitos citadinos, de forma activa e concreta na reflorestação – e assim, a cada bilhete comprado para experimentar a viagem de balão correspondeu a aquisição de uma árvore a ser plantada, algures num futuro.

Apesar de ver uma pequenina árvore (poderei chamar de bebé?…) na mesa da conferência de imprensa, simbolizando as centenas que poderia vir a ser adquiridas e plantadas, nunca imaginei que «algures no futuro» fosse já, no dia 25 de Novembro. É bom ser-se surpreendido.

Melhor ainda será fazer parte desta plantação e ficar de coração cheio, com o sentido de missão cumprida. Para todos, a inscrição faz-se aqui e faz sentido, sobretudo depois de tanto incêndio.

Sandra Marques Augusto | Colectivo 71.86

Comments

comments