Ia ter muito para contar. 🙂

Passo férias desde sempre na Luz. Antes mesmo de eu nascer, os meus pais já eram adeptos do barlavento algarvio com os meus irmãos.

A primeira casa era mesmo em frente à praia. Lembro-me de tudo. Uma vivenda com portadas vermelhas, um terraço enorme e uma vista incrível de mar! A liberdade que era  cada um ir para a praia à hora que queria, o ir descalça até às rochas (era só atravessar a estrada), ou vir para casa encharcada depois de um mergulho! Lembro-me bem das almoçaradas que viravam lanches e jantares á pála da do que o meu pai e irmão pescavam! Faziam caça submarina e com o que traziam de peixe juntávamos a família toda e os amigos … e depois valia tudo: música, dança, vinho …! Éramos muitos. Para aí uns 30. Adultos, crianças e adolescentes. Tudo junto na praia e na nossa casa.

Das melhores memórias que tenho é o acordar. Quem olha para a Praia da Luz de hoje não imagina que já foi um enorme espaço verde com vaquinhas e a casa dos meus pais era praticamente a única. Verdade. Eu acordava com o badalo das vacas.

Em miúda e minha rotina não era muito diferente da do meu filho: praia o dia todo e à noite uma volta por Lagos ou ficava mesmo por casa. Nessa altura a minha irmã e o meu irmão já saíam e eu ficava no terraço a imaginar o dia em que também eu ia sair com os meus amigos.

Quando esse dia chegou os meus pais já não tinham essa casa. Era mais longe da praia, mas todos os amigos que fiz naquela altura, aos 5 anos, ainda frequentam a praia! Hoje em dia casados e com filhos mas a tradição é para manter: férias na praia da luz.

Já falei várias vezes na Horta 2 que era a discoteca sensação mais perto de Lagos. Tinha um lago com gaivotas (para pedala de madrugada) e passava a melhor música que me lembro! Saí de lá muitas vezes já de manhã e feliz. Namorei, curti, dancei e cantei … atrevo-me a dizer que foram os melhores tempos da minha vida. Olho para trás e digo “aproveitei ao máximo!” No regresso a casa parávamos nos bolos quentes e trazíamos para casa …

O primeiro cão que tive – um pastor alemão – encontrámos na Praia da Luz. Tinham abandonado num caixote 3 crias. Levámos para casa e demos biberom. Só uma sobreviveu. A Manchinha. Esteve connosco 11 anos e foi a nossa fiel companheiras nas viagens para o Algarve.

Como veem tenho mais do que razões para voltar a esta praia todos os anos em Agosto. Espero que o meu filho crie laços como eu e os meus irmão criaram! Continuamos a ser muitos mas agora só nós, família. Sabemos que fizemos tudo certo e que esta é a nossa praia quando ao jantar temos sempre histórias para partilhar e soltamos longas gargalhadas!

Lagos é familiar. É para desligar da rotina, andar de chinelo no pé, sem make up, comer gelados e passear pelo centro. Gosto desta simplicidade da Luz e de Lagos.

 

 

 

Encontrei uma foto antiga …

A casa com portadas vermelhas era a nossa. Tudo deserto … Hoje em dia quem conhece a Praia da Luz sabe que a realidade é outra.

 

 

Comments

comments