São os pais que se adaptam aos filhos ou os filhos que se adaptam aos horários e vontades dos pais?

Eu sei que isto é um assunto que dá pano para mangas e que não há uma resposta certa , que varia de pessoa para pessoa mas e u tenho a minha opinião muito definida nesta matéria.

Ontem quando eu e o Miguel saímos do cinema, já passava da 00h00, vimos uma rapariga a ir na direcção das salas com um balde de pipocas e uma criança para aí com os seus 3, 4 anos no máximo. Fiquei chocada!

Primeiro porque não ia ver nenhum filme de animação (o Miguel até foi ver ao ecrã ver quais os filmes às 00h30) e depois porque a meu ver aquela hora qualquer criança já deve estar em casa e por norma a dormir. Digo eu.

Já fui mãe tarde. Fui quando quis ser, quando teve de ser. Tive tempo para me divertir, para aproveitar ao máximo tendo sempre presente que quando fosse mãe tudo iria mudar.

Desde que o Manuel nasceu que a minha prioridade sempre foi o bem estar do meu filho. Ainda o é. Se quero ir a algum sítio e não tenho com quem o deixar, não vou.

Aquela mãe não é a primeira e não vai ser a última a colocar os seus interesses à frente dos da criança, eu sei mas fez-.me confusão. Muita. Faz-me confusão. A meu ver somos nós, pais, que temos de nos adaptar aos filhos e não o contrário.

Festivais de verão. Há uns anos no Alive lembro-me de ter visto um casal (eles eram novinhos) com um bebé ao colo. Era minúsculo e estava num lenço. Por muito protegido que estivesse, nós sabemos que o volume nos concertos é sempre alto … lá estavam os pais a curtir o concerto e o bebé a levar com aqueles decibéis! Eu sei que não podemos julgar os outros … eu não conheço a história daquele casal mas há coisas que me tiram do sério , como por exemplo os pais que acham que os filhos é que se têm de adaptar à vida dos pais

Eu nunca fui assim. Não sou assim. Atenção que com isto não estou a dizer que sou a mãe perfeita. Longe disso. Sou real e falho muito. Às vezes penso que estou a fazer o melhor e pode não ser o caso. Eu sei que há vida difíceis e complicadas mas também vejo que hoje em dia há quem tenha filhos e depois não assume a responsabilidade, o estar presente, o acompanhar. Não é só ter. É toda uma vida nova. Muito mais bonita.

O que acham? Qual é a vossa opinião?

Comments

comments