Sim ou não?

Há quem goste, há quem ache que não devemos voltar … eu acho que depende de muita coisa. Não tenho assim uma opinião certa até porque já voltei a sítios em que a segunda vez foi bem mais memorável que a primeira. Acho que varia muito.

Hoje faço um ano de casada. Para comemorar, eu e o Miguel decidimos voltar ao sítio que nos acolheu na nossa lua de mel: Moinhos de Ovil. É um espaço mágico. Se eu tivesse que escolher uma palavra seria essa mesma: magia. Aqui acontece sossego, amor, natureza. Longe da azafama da cidade aqui impera o sossego e o som da cascata do rio.

Não há muita internet, porque aqui o objectivo é estar e saborear. Tudo. O espaço que tem tanta coisa bonita, os livros, os dvd´s, os jogos de sedução … Sim, a querida Eduarda sabe que quem vem para aqui quer amar e ser amado, por isso aposta nos detalhes e só aluga o Moinho para um casal. Apesar de ter outros que também podem ter gente, a Eduarda prefere tratar bem quem vem para aqui dando privacidade. Estamos isolados de tudo. De tudo mesmo.

Por termos amado a nossa lua de mel, o Miguel no dia em que saímos de cá deixou logo reservado para este ano. Foi tão perfeita a nossa lua de mel que queríamos voltar. Vou querer sempre voltar aqui. Por muito que eu descreva, ou por muitos stories que faça, é preciso vir aos moinhos para sentir esta magia.

O tempo aqui é diferente. O vinho sabe melhor. Aqui estou eu a escrever este post de robe, peúgas quentinhas, a lareira no quarto a aquecer a casa … e a chuva teima em cair nesta varanda com vista para o rio. Perfeito.

Para vir para os Moinhos é preciso sentir e apreciar estes detalhes, os detalhes que a nossa querida Eduarda deixa: a mesa posta com queijinhos, tostas, doces, o vinho do Douro, as boachas de canela e vinho do Porto, frutos silvestres, ananás … o pão escuro para o pequeno almoço, o leite, os chás especiais … tanta coisa boa! A Eduarda sabe que nós não queremos sair e por isso deixa o contato de 2 sítios com comida caseira. A comida chega quentinha e vem em cestas. Tudo é romântico. Para mim isto é ser romântico. Sim, ir a Paris é romântico e nós também podíamos ter ido … mas se calhar somos diferentes. Esta paz é única e não encontramos em mais lado nenhum. Já estive muitas vezes em Paris e em bons hotéis e nunca senti o que sinto aqui!

E sabem que mais? O Miguel sente exatamente isto.

Um ano de casados. Sim, é só um ano, mas voltar ainda mais apaixonados … é maravilhoso. 🙂 É o que mais peço: saúde e amor. Tendo estas duas coisas chegamos às outras. As vidas são agitadas, temos filhos, preocupações e sim nem sempre estamos de acordo … às vezes ele tira-me do sério e eu sei que o tiro muito do sério, mas se há a amor, tudo se resolve.

Num ano muita coisa mudou e o Miguel esteve sempre ao meu lado. Sempre. Nas decisões mais duras que tomei, nos “nãos” que levei, nas minhas alegrias, nas minhas vitórias,nos momentos em que não me senti confiante, nos momentos em que pensei que não era capaz de seguir,  nos momentos ao lado do meu pirata, nas brincadeiras com o meu filho … sempre presente e com um olhar apaixonado. O olhar e o sorriso do Miguel são tudo para mim. Tudo.

Este post é só para agradecer tudo. Tudo. E o fato de voltar a este espaço que tanto amo.

Miguel, meu amor, meu marido … obrigada. Obrigada por seres como és e por me ajudares todos os dias a ver quem eu sou, que nem sempre as coisas são como nós sonhamos, mas que tendo uma pessoa que nos ama ao lado, é tudo mais fácil. Venham mais anos, mais momentos tão nossos e sim, continuo a acreditar que Some people do spend their whole lives together.

Agora vou saborear mais um copo de vinho do Douro que a querida Eduarda deixou e namorar mais um bocadinho com o meu marido.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comments

comments