Para mim falar de Clint Eastwood é falar n` “O bom, o mau e o vilão”. Sim, o filme é de 66 mas é o que dá crescer numa família fã de westerns e de C.Eastwood! 🙂

Clint Eastwood está de regresso ao grande ecrã. Aos 88 anos… sim 88! volta a assumir o papel de realizador e intérprete, coisa que já tinha acontecido em “Gran Torino”, um dos meus filmes de eleição.

“The Mule” (“Correio de Droga”) é um drama baseado numa história real, que conta ainda com Bradley Cooper, Andy Garcia, Laurence Fishburne e Dianne Wiest no elenco principal.

Clint Eastwood criou nos últimos filmes (“Imperdoável” e “Gran Torino” a imagem de um homem difícil de viver, que preza a solidão e o seu espaço. Em “Correio de Droga” mantêm esse perfil: um homem que viveu muito para as suas coisas e que deixou a família para segundo plano. Quando dá conta do que fez, tenta recuperar o tempo perdido. Mas nós sabemos que nem tudo dá para recuperar.

Clint no filme é Earl, um homem sem filtro e com muito sentido de humor.

No lançamento deste filme, em Dezembro do ano passado, reuniu os 8 filhos. Foi a primeira vez que reuniu todos os seus filhos e pela primeira vez assumiu uma filha mais velha que já se falava nisso há uns tempos.

É o 37º filme deste senhor que eu adoro. Ele enche o ecrã e apesar de eu gostar do Bradley Cooper, estar ou não interessa … Clint Eastwood enche o ecrã.

Nunca percebi este meu fascínio por Eastwood ou talbez saiba: traz-me tão à memória o meu avô. Também ele um grande fã. SE há memória que não quero perder sãos os filmes de Eastwood em VHS na sala do meu avô. Também ele enchia uma sala por onde passava …

Se tiverem oportunidade vão ver “Correio de droga”. Vale bem a pena.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comments

comments