Acho que a primeira vez que dei conta ou me apercebi que “sofria” (eu tenho sempre algumas dúvidas em usar este verbo a verdade é que consegue ser doloroso por isso vou insistir no uso do mesmo) de pernas cansadas/pesadas/ retenção de líquidos foi durante a minha gravidez.

Na altura a minha médica recomendou-me fazer natação e usar meias de compressão … que eu vou ser sincera, achava super antiquado, mas resultou! 🙂 Demorei até decidir que sim, que precisava e a verdade é que depois de usar já não consegui passar sem elas. Era terrível para as conseguir vestir porque tinha um barrigão, mas tirando esse “detalhe” ajudou-me muito. Incrível a diferença … aliás não é por acaso que são aconselhadas meias de compressão para quem corre!

Esta introdução para explicar que eu imagino que esta doença já vem de há muito tempo mas só nessa altura em 2012 dei conta. Sempre tive a sensação de peso nas pernas mas como toda a minha vida trabalhei muito sentada (em rádio) imaginei que fosse de estar várias horas com as pernas cruzadas ou até das calças apertadas que usava … 😉 Desvalorizei até à minha gravidez. A partir daí fui tendo mais consciência e fui fazendo aquilo que recomendam para aliviar esta sensação de mal estar: exercício, beber muita água e mais recentemente comecei a fazer massagens que me ajudam muito.

A doença venosa não tem cura, mas depende muito de nós e dos nossos hábitos para evitar crises.

Nesta altura em que estamos mais confinados a casa por motivos de força maior – por causa da Covid 19 – tem sido um bocadinho mais complicado …  cabeça a mil e vamos deixando de fazer algumas coisas que nos ajudam a aliviar esta sensação, tais como:

– Beber água. Por norma bebo 1,5L de água por dia e agora nem de perto nem de longe;

– Exercício físico. Tinha regressado recentemente ao ginásio, neste momento e como vivo num apartamento e estou com os miúdos tem sido mais complexo. Temos optado por subir e descer escadas e pouco mais.

– Alimentação. Também tenho descurado neste aspecto. Uma coisa é fazer algumas refeições em casa, outra é de repente e durante 20 dias fazer almoço e jantar. A criatividade vai escasseando e inevitavelmente acabamos por não ter tantas refeições saudáveis.

– Massagens. Só há poucos dias fui buscar o meu óleo para tentar fazer algumas massagens … Não é a mesma coisa, mas tudo ajuda a aliviar esta sensação de peso. Para quem desconhece ou pensa “sou a única” … nem por isso a doença venosa é mais comum do que o que se pensa: afeta mais de 8 em cada 10 pessoas no mundo inteiro. Parece que nós mulheres somos mais propensas mas também acontece aos homens, em menor número.

O porquê de termos pode ter a ver com vários fatores… no meu caso:  a genética (quase todas a as mulheres da minha família sofrem desta patologia), manter as pernas cruzadas (eu sou capaz de estar horas e horas com pernas cruzadas) e a pílula anticoncepcional (varizes).

Uma coisa é certa: já que vamos ter de conviver com esta doença que tentemos minimizar ou aliviar alguns sintomas ao máximo. O site www.dornaspernas.pt tem algumas dicas preciosas que ajudam principalmente nesta fase em que estamos mais confinados a casa.

Quando vos for possível não deixem também de referir este desconforto nas pernas ao vosso médico de família. Certamente que vos vai aconselhar e ajudar tal como a minha médica fez comigo.

 

 

Comments

comments